08 dezembro 2009

Lição do dia sobre o amor

Descobri hoje que o medo de ser ridicularizada está completamente fora de moda. Pelo que entendi, o esquema é sentir o friozinho na barriga e seguir seu coração, ainda que em sussurros pelas suas costas as pessoas tirem sarros mil da sua cara e você seja tema de piadas, chacotas e shows particulares de comédia stand-up após bebedeiras entre amigos.

Mas… e se eu ainda tiver vontade de abater a murros certos vermes que fizeram pouco dos meus nobres sentimentos?

Enquanto o amor não superar o ridículo, nada feito. E penso, afinal, se o ridículo é mesmo necessário, quando há amor de verdade. Como diria a parte menos famosa do poema de Fernando Pessoa :

”A verdade é que hoje

As minhas memórias

Dessas cartas de amor é que são ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas, como os sentimentos esdrúxulos,

são naturalmente ridículas.)”

Don't give up on the dreams you never had

Desistir, jamais.

2 comentários:

C. disse...

Adooooooooooooooorei!!!!

Cristina disse...

Mas eu acho que o ridículo é parte componente do amor. Reflitão.

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails