06 setembro 2008

Gabi

Enquanto isso, em um corredor de supermercado de uma cidade qualquer, Martinha pensa :
"Hum... essa menina perto dos limões, acho que a conheço de algum lugar. Sim, é a Gabi! Será que ela se lembra de mim? E esse rapaz que está com ela, meu Deus, será que é o "irmãozinho" dela? Ele era uma criança um dia desses, agora está um rapazão! Tô ficando velha!"
Minutos depois...
"Epaaa! Eles não estão parecendo irmãos, não! Que pegação é essa? Gente, a Gabi tá pegando uma criança pra criar! Onde ela está com a cabeça, pra namorar um pirralho desses?"
- Martinha, oi!
- Oi.. ahn, ooi, Gabi! Quanto tempo! Como você está?
- Tudo bem, e você? Nossa, não te vejo desde o fim da faculdade. E aí, o que tem feito?
- Ah, eu me casei faz sete meses!
- Uau, que demais, foi com o Ricardo, né?
- Roberto...
- Ah, desculpa, confundi o nome. Mas e o trabalho?
- Então, estou em casa agora. Sabe, fiz estágio, não consegui emprego na época, agora está bem difícil... de vez em quando faço uma coisa aqui ou ali, nada fixo, só pra garantir um extra. Você ainda está na mesma empresa?
- Sim, desde o estágio da facu. Além disso, eu trabalho na faculdade também, na parte de coordenação dos estágios. Foi lá que eu conheci o Dudu... ah, nem apresentei! Dudu, esta é a minha amiga Martinha!
- Oi Martinha, belê?
"Belê? Ai, eu tenho mais de 15 anos, moleque!!"
- Tudo ótimo... ahn, Dudu. Quantos anos você tem?
- Hein? Ehn... 21. Gabi, vou escolher os limões e deixar vocês conversando à vontade...
- Belê, amorzinho!
"Aff, ela fala 'belê' também..."
- Olha que coisa, eu sempre me interessei por homens mais velhos, mas agora achei um 6 anos mais novinho!
- Que... legal, Gabi. Super legal...
"Que patético! Imagina, estagiário, ela deve pagar até as baladinhas para ele!"
- Sabe, Martinha, eu achava que esta história de "amor não tem idade" era a maior bobagem. Eu acreditava que a idade era uma barreira real. Nada como uma paixão repentina para fazer a gente rever os nossos conceitos.
- Mas, Gabi, me diga uma coisa... Você não pensa no futuro?
- Como assim?
- Você já está com 27 anos, daqui a pouco você vai querer algo mais sério, casar, ter filhos... E aí?
- Ah, não sei. Aí a gente vê. Se eu ainda estiver com o Dudu, vai ser ótimo!
- Mas ele é tão novinho, será que vai querer assumir algum compromisso?
- Poxa, você só faz pergunta difícil! Eu não sei nem se eu vou querer assumir!
- Vai sim, você vai ver. Sabe o que vai acontecer? Você vai enjoar dele e já vai estar trintona. Ou pior, ele vai te largar por uma menininha! Como você caiu nessa?
- Nossa... é verdade, Martinha, é verdade. Não sei como caí nessa. Deve ter sido do mesmo jeito que você acabou sendo uma chata que regula a vida alheia e tem que pedir dinheiro para o marido até para comprar um O.B. Agora, com sua licença, eu vou comprar algumas Sagatibas*, para as caipirinhas do nosso churrasco. Tchau, acorda pra vida!
Atônita e furiosa, Martinha resolveu ir embora imediatamente e foi ao caixa. Ao sair do supermercado, recebeu uma ligação do marido.
- Marta, o banco me mandou uma mensagem no celular e acabei de ver que você fez uma compra de 103 reais no cartão! Como você consegue gastar tanto dinheiro?

Moral da história : Tem gente que tem sorte na vida, tem gente que não. Há!

* Atenção, Sagatiba, aceito agrado pela propaganda gratuita.

2 comentários:

Semiramis disse...

hahahahahahaha... sensacional!!!!

Cristina disse...

Ahaha gostei da moral da história :p

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails