28 dezembro 2010

Já sei começar

Adoro Ano Novo por todos os motivos que o resto da humanidade - vida renovada, recomeço, novas chances, esperança - mas também porque adoro começar a fazer as coisas.
O começo de qualquer tarefa, desde que você esteja empolgada e acredite no que faz, é lindo, emocionante, é um gás na sua vida.
Mas... depois de um tempo, as coisas se estabelecem, param, estabilizam, ou não seguem o curso que você queria... então, não é que eu desista. Porque desistir exige um fim formal, uma carta de rendição, um sinal, uma conversa esclarecedora. Eu me paraliso
Não é o fim, mas também não anda mais.
Começo de ano está aí, boa oportunidade pra recuperar o tempo perdido e sofrido... ou o melhor é ficar quietinha, de boca fechada, em que não entra mosca e não sai besteira?
Estou pensando em decidir isso por um método altamente científico, por exemplo jogando alguns papéis no mar e sorteando a opção que a onda me devolver.
Afinal, tudo precisa de um final. E nos últimos tempos, o único final que eu gosto é o final... de semana! Ufa, ao menos isso :)
*
And in the end...

2 comentários:

Anderson disse...

bom ano novo pra todos nós.

Cecilia disse...

Gostei da idéia de jogar no mar os papéizinhos. Há também aquela simpatia de Dia dos Namorados: colocar as letras do alfabeto em papéis dobrados numa bacia, deixar durante a noite, e de manhã o papel desdobrado é a inicial do homem da sua vida. Acho válido fazer o mesmo, só que com as duas opções que você está na dúvida. Fica a dica :P

Feliz 2011, moça!

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails