10 janeiro 2009

Viagens no tempo

Ontem revi o filme "Efeito Borboleta", em que um rapaz tem a capacidade de voltar no tempo ao ler as lembranças documentadas em seu diário. O problema é que, depois que ele descobre isso, tenta voltar constantemente ao passado tentando corrigir coisas que "não deram certo", tanto na vida dele como na dos melhores amigos, e claro, na da sua amada.
Ele nem sabia que isso seria um problema, afinal, voltava sempre com boas intenções. No entanto, ao tentar mudar um fato, consertá-lo ou torná-lo melhor contado, uma série de histórias dependentes deste fato também se alterava. Até que finalmente ele descobriu o que deveria fazer para colocar o passado nos eixos.
Durante o filme, lembre-me de outro que também trata de viagens no tempo, com abordagem mais científica e não como um "dom" : "A Máquina do Tempo", de 2002, com Guy Pierce (é refilmagem da versão de 1960). Neste caso, a sua amada morre prematuramente e o rapaz constrói uma máquina do tempo para voltar ao passado e salvá-la. O que de nada adianta, pois mesmo livrando a moça da sua "primeira" morte, ela acaba partindo de outra maneira. A mensagem é clara : não importa o que você faça ou desfaça, se está escrito pelo destino, acontecerá, de qualquer forma. Depois ele embarca em uma viagem de 800 mil anos (!!). Ano com mais de 4 dígitos deve ser a maior desgraça que pode acontecer aos sistemas informatizados deste mundo. Ainda bem que ele não precisou muito de computadores no "super-futuro".
Assim, temos a visão "Efeito Borboleta", em que é possível viajar no tempo e alterar o curso das coisas, mesmo a custa de muitas idas e vindas, e temos a visão "Máquina do Tempo", em que é possível viajar, alterar os acontecimentos, mas não o caminho que seguem.
Que decisão poderia ter alterado a sua história - decisão sua ou de outros? Ainda há tempo para alterações grandes, daquelas de 800 mil anos para frente?
*
Ah, resolvi uma outra dívida pessoal (como o violão) e estou tentando aprender a jogar xadrez. É um jogo que exige paciência e eu no máximo consigo prever 2 jogadas adiante sem me encher de tédio. Ainda assim, já ganhei algumas. O bom é que, como é no computador, tenho a opção de desfazer os últimos movimentos - o que não deixa de ser uma mini-viagem no tempo.

3 comentários:

Alexandre disse...

Eu aprendi o básico mas depois perdi a paciência pra xadrez, e é preciso muita. rs

Semiramis disse...

Faltou falar do Hiro Nakamura do Heroes, que além de voltar pode parar o tempo... esse sim é legal!

Cristina disse...

Ontem eu tava dizendo que, se pudesse voltar no tempo, pra um instante específico, queria ver aquele show dos Beatles no telhado. Assim, uma coisa inofensiva qto aos rumos da história e do destino.
E xadrez, eu não tenho paciência, definitivamente.

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails