17 fevereiro 2008

Beleza pura

Não, não é sobre a nova novela das sete da Rede Glóbulo de Televisão. Nem assisto a novelas hoje em dia. Eu curtia as mais tosquinhas dubladas do SBT, como "A Usurpadora" e "Maria do Bairro".
Na verdade, este texto é pra ser algo relacionando a beleza e a música. Ou melhor, a beleza dos músicos. Bem, sabe-se lá se vou conseguir manter alguma linha de raciocínio, ou algum raciocínio que seja.
Talvez explicando a origem da inspiração para iniciar estas linhas vocês entendam melhor.
Dei uma passadinha no Garotas que Dizem Ni e vi este
texto. Texto curtinho com um clipe bacaníssimo de uma banda desconhecida, mas que eu adoro e que foi amor à primeira ouvida : The Shins. Confiram aí ao lado, no link do Last.fm, o quanto eu ouço a banda.
Se você viu o clipe, James Mercer é o rapaz do binóculo. É vocalista, letrista e guitarrista da banda. Se não, eu te ajudo, é esse rapaz aqui :



Bonito? Nem... Sensual, atraente, envolvente? Que nada. Mas a música que ele faz... Ah, essa sim, te atrai, envolve, põe um sorrisão no rosto.
Será que é essa a explicação para a mística do "menino do violão"? A lenda que conta que qualquer mocinho que apareça tocando um instrumento musical, e principalmente, subindo em um palco, torna-se de imediato mais atraente, interessante, objeto de cobiça, ídolo, ao som dos gritos de "lindooooooooo"?
Temos outras explicações? Uma certa tendência, quem sabe genética, quem sabe por tradição, de as mocinhas procurarem os machos mais hábeis e bem-sucedidos, qualidades essas simbolizadas pela criação/reprodução de música e pelos gritos de "lindooooooooo"?
Claro que, na maioria dos casos, nenhum deles é lindoooooooo. Porém, temos exceções. Você sabe que o mundo não tem pena de você quando ele decide, com a ajuda do destino e da oportunidade, fazer combinações impossíveis das coisas que você mais gosta :

Jonathan Rhys Meyers no filme "August Rush" (O Som
do Coração, que estreou neste fim de semana). Ai, meu coração...

O amor é um sentimento puro, uma flor roxa que nasce no coração dos trouxa, e acima de tudo, é cego. Graças a Deus, o amor só não é surdo!
Tudo isto apenas para confessar... Ao fim do clipe, só consegui pensar em uma coisa : que maravilha seria passar a vida ao lado de James Mercer, ele tocando "Australia" para mim, eu tocando "Phantom Limb" para ele, ou em dueto. Que dupla seria.
E por favor, sejam bonzinhos e ignorem toda a complexidade do amor e dos relacionamentos (ele ronca/não fala que me ama/olhou para outra mulher na minha frente/deixa a toalha na cama...). A realidade é outra, bem menos simples, mas fugir dela um pouquinho é que nos faz suportá-la. Não é?
Para encerrar, uma tirinha de humor que incorpora o espírito do texto :


Ei, comigo não é assim não, hein? Hahaha !!!!

2 comentários:

Cristina disse...

Muito interessante, eu já tinha pensado nisso, em como as pessoas (pelo menos algumas) se tornam de alguma forma atraentes qdo fazem boa música.

Semíramis disse...

Isso tudo não é lenda... é a mais pura verdade...

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails