21 fevereiro 2010

Vou te dar “unfollow”. E daí?

Acompanhar o que acontece no Twitter é uma divertida experiência que merece ser compartilhada. No entanto, ainda bem que existem os blogs, onde posso expor minhas reflexões em mais de 140 caracteres.

Dentre as bizarrices que aparecem todos os dias no microblog, o que eu mais gosto atualmente são as “ameaças” de dar “unfollow” (parar de seguir a pessoa). Acontece muito com tuiteiros famosos – artistas, jornalistas, apresentadores, qualquer um que aparece na TV etc.

A-m-e-a-ç-a. Sim, porque “eu sou o ser mais importante do Universo e se eu parar de te seguir no Twitter, o seu mundo vai ruir”.

A maior parte das pessoas famosas ou ilustres que estão no Twitter já são plenamente reconhecidas em suas atividades e usam o site como mais uma ferramenta de comunicação, não como caminho para a notoriedade. Na teoria, elas não precisam que as sigam. É um processo natural, quem gosta segue, que não gosta, ignora. Uma extensão do nosso dia-a-dia no mundo real, mas ganhando uma inédita proximidade com quem você teria poucas chances de falar pessoalmente. Eu acho isso o máximo.

Então, o que passa na cabeça de uma pessoa que ameaça parar de seguir um destes ilustres e faz questão de anunciar? “Ah, Fulano é um flooder, só fala besteira, não sabe nada, é isso, é aquilo…”. Se você não gosta mais dos comentários do seu antes admirado famoso, por que não aperta elegantemente o botão “unfollow” e continua a sua vida (se é que você tem uma)? Ou ao esbravejar publicamente, você é que busca tornar-se notório, pelo menos por alguns minutinhos? Pobreza de espírito define. É como os que entram no blog dos outros pra comentar que “o post é uma droga”. Te chamaram lá? Te obrigaram a ler? Ponha-se no seu lugar, criatura!

Porque o tal ser que valoriza tanto o próprio unfollow não produz algo interessante para tornar-se conhecido? Esta mania de querer aparecer a partir do nada é irritante e lamentável. Infelizmente, o Twitter potencializou o campo de ação deste tipo de gente e, com certeza, conhecemos vários que agem assim fora da internet. A plataforma muda, o comportamento não.

Fica a dica (das antigas): pendure uma melancia na cabeça. Nos dias de hoje, corre o risco de te filmarem, parar no YouTube e ter centenas de RT no Twitter. Pronto, resolvido.

image

As últimas bolachas virtuais do pacote.

4 comentários:

Alexandre disse...

Ótimo texto moçoila. Infelizmente muita gente ainda não entendeu o espírito e a função do twitter, é uma rede social sim, mas não uma rede de amigos e conhecidos pra quem temos que ficar prestando contas, e vice-versa.

Persiolino disse...

Concordo com o Alexandre!
Unfollow e daí!
Vou dar um Unfollow em um monte de gente!

Anderson disse...

brilhante!

Cristina disse...

Gostei do texto!

Compartilhe

Related Posts with Thumbnails